Institucional

Histórico

Postado em 20/11/2014 as 18:45:17
O Instituto Universidade Popular - UNIPOP, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, de Utilidade Pública Estadual (Lei 5.797, de 17/10/94) e Utilidade Pública Municipal (Lei 8.275, de 14/10/2003). Nasceu da mobilização de um conjunto de entidades, movimentos sociais e igrejas comprometidas com a teologia da libertação, para ser um espaço plural de formação de lideranças populares, agentes pastorais e fortalecimento da democracia. Ao longo de seus 25 anos de existência tem se legitimado como uma entidade de formação para a cidadania ativa, ecumênica, de educação popular, cujo princípio metodológico básico está no pluralismo político, de gênero, cultural e religioso. Para isso trabalha para formar lideranças democráticas dos e para os movimentos sociais, populares, agentes pastorais e grupos de jovens.

A partir da ECO 92 , e pelo fato de estar atuando na Amazônia, ampliou seu raio de ação temática, incluindo nos processos formativos a questão ambiental tanto no curso de formação política quanto junto a educadores/as sociais e jovens de escolas públicas da Região Metropolitana de Belém. Considerando as constantes denúncias de abusos e violação de direitos contra crianças e adolescentes, UNIPOP trabalhou na mobilização e articulação da sociedade civil constituindo o Fórum Estadual de Defesa dos Direitos de Crianças e Adolescentes, combatendo o trabalho infantil e a violência sexual e doméstica contra crianças e adolescentes. Desde 1998, vem contribuindo na formação humana e profissional de jovens em situação de vulnerabilidade social, localizados nas periferias dos bairros da RMB; na formação de educadores/as e gestores/as de ONG's, Conselheiros Tutelares e de Direitos, na formação de gestores/as sociais e na articulação e fortalecimento de Redes e Fóruns, tendo em vista a promoção e garantia dos direitos humanos: econômicos, sociais, culturais e ambientais, a sustentabilidade do desenvolvimento e da justiça ambiental na Amazônia, o que envolve a melhoria da qualidade de vida de todos e todas que vivem e trabalham nesta região.
 
Face às constantes denúncias de violação de direitos no Estado do Pará, UNIPOP instituiu como eixo articulador das ações formativas e de mobilização no Trienal 2003-2005, a luta pela promoção, defesa e garantia dos direitos humanos. A partir daí vem investindo na construção de estratégias e parcerias para ações em rede (PAD. FAOR. ABONG) no sentido de seu enfrentamento. Com o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas (IBASE), do Rio de Janeiro, assumiu a coordenação, na Região Metropolitana de Belém, da pesquisa Juventude Brasileira e Democracia: participação, esferas e políticas públicas. Investiu no fortalecimento do Fórum DCA e no CEDCA. A partir de julho de 2007 até fevereiro de 2009, atuou na Comissão de metodologia/FSM e como representante da ABONG, esteve à frente do Comitê Coordenador do Fórum Social Mundial, realizado em Belém, de 26 de janeiro a 1º de fevereiro de 2009.
 
Nos últimos dez anos tem desenvolvido ações com o segmento juvenilenvolvendo grupos de jovens em 08 bairros da periferia da Região Metropolitana de Belém e na ilha de Cotijuba com os jovens ribeirinhos e em 44 escolas de 22 municípios do Estado com ações do Com-Vidas contribuindo para a formação da Rede Juventude e Meio Ambiente,- REJUMA, com formação de CJs – Coletivos Jovens pelo Meio Ambiente, a partir da 1ª Conferência Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente, em 2003.
 
Com esse segmento desenvolve processos formativos baseado na Educação para o Desenvolvimento Humano que contempla: Educação para Valores, Protagonismo Juvenil, Cultura da Trabalhabilidade, Direitos Humanos, Justiça Ambiental, Sexualidade, Educação e Trabalho. As lideranças jovens que participam do curso na UNIPOP são responsáveis pela aplicabilidade nos seus grupos nos bairros (culturais, esportivos, de Igreja, Centro Comunitário, de escolas, entre outros), estimulando a criação de projetos a partir da realidade existente, buscando alternativas para executá-los. Nosso objetivo é desenvolver em cada jovem, habilidades de criar idéias e colocá-las em prática, descobrir seus potenciais, desenvolver sua auto-estima e atitudes mais propositivas, reforçando sua capacidade empreendedora.
 
Com os educadores sociais (militantes de entidades populares, arte-educadores, movimentos sociais, gestores, lideranças) temos trabalhado através de cursos como os de Formação Política e Socioambiental e o de Iniciação Teatral, além de oficinas, seminários, debates, ações conjuntas pela defesa dos direitos de crianças, adolescentes e jovens, em campanhas contra a criminalização dos movimentos sociais, pela melhoria do desenvolvimento institucional e da democratização da gestão, estimulando o trabalho coletivo e o exercício de relações mais humanizadoras e respeitosas nos espaços onde atuam. Os processos formativos que desencadeamos com as atividades visam sempre contribuir para construção de uma sociedade justa e democrática centrada nos direitos humanos, na eqüidade de gênero, na igualdade racial, no respeito à vida e à dignidade das pessoas, baseados na ética do cuidado e no que nos diz Maturana (1996) "a vida cotidiana deveria ser um espaço ético e o será se agirmos preocupados pelas conseqüências de nossas ações sobre os outros e afirma: a partir da convivência social, da convivência fundada nas ações que constituem o outro como legítimo outro, é que a ética surge e tem sentido."[1].
 
Fundada oficialmente em 27/10/87, a UNIPOP vem a cada trienal retroalimentando sua visão e missão a partir da análise do contexto onde atua, a região amazônica, respondendo às necessidades que essa análise indica, para que suas ações possibilitem o enfrentamento às desigualdades e contribuam para a transformação socia